Capa Site Portugal (1).png
Ana Lúcia Pereira.jpg

 

Sou Ana Lúcia Pereira, psicóloga de abordagem cognitivo-comportamental, doutora em Psicologia da Educação.

 

 

Tenho extensa experiência na realização de atendimentos clínicos nas modalidades presencial e online.

 

 

Para saber mais a respeito da Terapia Cognitivo-Comportamental (TCC), abordagem que utilizo em meus atendimentos clínicos, aceda aqui.

 

 

Também atuo como professora universitária, ministrando aulas em cursos de licenciatura e pós-graduação. Caso deseje informações sobre as minhas investigações e publicações científicas, por favor, aceda meu currículo académico.

Psicoterapia Presencial

Psicologa.jpg

São inúmeros os motivos que podem levar alguém a procurar a ajuda de um psicólogo. Algumas vezes a pessoa tem consciência da origem do problema que está a enfrentar, mas isso nem sempre é suficiente para conseguir resolvê-lo. Nos casos em que essa consciência não existe, a pessoa tende a sentir-se completamente “sem rumo”. Numa ou noutra situação é importante buscar ajuda profissional.

 

Quando conversamos com familiares ou amigos sobre algum problema, pode ser que essa pessoa nos aconselhe, dê sugestões ou até mesmo diga como agiria se estivesse em nosso lugar.  Entretanto, ao psicólogo não cabe o papel de dizer como o paciente deve agir, e sim fazer uso de métodos científicos da Psicologia para auxiliá-lo em suas dificuldades. Reside aí a diferença entre conversar com um amigo e se consultar com um psicólogo. 

 

Costumo fazer uma analogia entre o psicólogo e um espelho que nos possibilita ver detalhes em nosso corpo que não seriam visíveis a “olho nu”, de forma a favorecer o autoconhecimento.

Na psicoterapia existe espaço para se abordar assuntos íntimos de qualquer natureza e as demandas costumam ser bastante variadas. 

 

Algumas das motivações frequentes são:

- desejo de buscar e trilhar caminhos diferentes;

- busca pelo autoconhecimento;

- desejo de melhorar a qualidade de vida;

- apoio em dificuldades de ordem conjugal, familiar, acadêmica ou profissional;

conflitos de ordem afetivo-sexual;

autoestima comprometida e inseguranças diversas;

casos de ansiedade, depressão, transtorno de pânico, estresse , transtornos alimentares etc.

Motivos Psicoterapia.png

Independentemente da questão a ser tratada, a psicoterapia sempre será um trabalho de autoconhecimento. Somente quando conhecemos mais profundamente quem somos, ganhamos recursos para enfrentar os nossos conflitos. Todos estamos sujeitos a problemas, com os quais precisamos aprender a lidar, mas o que faz toda a diferença para a nossa qualidade de vida é a forma como agimos diante dessas situações, e é aí que o autoconhecimento se torna nosso aliado.

 

A pessoa consciente de seus recuros internos conseguirá atuar de maneira mais positiva diante dos desafios da vida. Isso não significa, de forma alguma, vestir a máscara de "Pollyanna", acenando para as dificuldades e repetindo de maneira inconsequente que tudo vai dar certo no final. Implica, isto sim, em deixar de lado as lamentações infrutíferas e buscar soluções exequíveis para os problemas, além de tirar proveito da situação e aprender com o que viveu.

 

A psicoterapia pode ajudar-lhe a estar cada vez mais próximo de si mesmo e assim lidar melhor com os seus conflitos. Pense nisso!

Logotipo da Ordem dos Psicólogos Portugueses

O sigilo terapêutico, condição  fundamental para a construção da relação de confiança entre o psicólogo e o paciente, é estabelecido pelo Código Deontológico da Ordem dos Psicólogos Portugueses:

 

"Os psicólogos/as têm a obrigação de assegurar a manutenção da privacidade e confidencialidade de toda a informação a respeito do seu cliente, obtida directa ou indirectamente, incluindo a existência da própria relação, e de conhecer as situações específicas em que a confidencialidade apresenta algumas limitações éticas ou legais". (Ordem, 2011)

Psicoterapia Online

PsicologoOnline.jpg

Ofereço a opção da psicoterapia online para maiores de 18 anos, residentes em qualquer parte do mundo, desde que falantes da Língua PortuguesaCostumam se beneficiar dessa modalidade de atendimento:

 

profissionais cujas atividades requerem viagens constantes;

emigrados que desejam receber atendimento na Língua Portuguesa;

residentes em locais geograficamente afastados ou carentes de profissionais da Psicologia;

pessoas com dificuldade de locomoção;

pessoas que por qualquer razão sentem-se mais confortáveis com o atendimento online.

 

As sessões de psicoterapia online são realizadas por meio de videoconferência. De maneira análoga ao que acontece na modalidade presencial, cada consulta têm a duração de cinquenta minutos e a frequência mínima de uma vez por semana.

Para dar início à psicoterapia online é preciso:

fazer o download e instalação do software gratuito Skype – que possibilita a realização de chamadas de vídeo por meio da Internet;

dispor de um local reservado e resguardado de influências externas, que garanta a privacidade e minimize a possibilidade de interrupções durante as sessões; 

possuir Internet de conexão rápida;

headsets (auriculares profissionais) não são indispensáveis, porém contribuem para a qualidade da comunicação.

Skype 4.png

Igualmente importante para o bom andamento da psicoterapia online é o cuidado com a segurança das informações. 

Segurança na Internet.jpg

Atente-se às seguintes recomendações:

 

1. Evite utilizar computadores públicos, como os de cyber-cafés, universidades, locais de trabalho, bibliotecas ou qualquer outro de uso compartilhado.

 

2. Exclua os históricos de conversações no Skype.

 

3. Evite navegar durante as sessões.

 

4. Saia do Skype e reinicie o computador após o encerramento de cada sessão.

 

5. Mantenha atualizados antivírus, firewall e os demais softwares utilizados para detectar e bloquear ameaças e invasões.

 

6. Evite guardar a senha do Skype no computador e nunca a forneça para outras pessoas.

Orientação Vocacional

Estudante.jpg

Dúvidas relacionadas à profissão costumam causar angústia e ansiedade, afinal a escolha da carreira guarda forte relação com o projeto de futuro do jovem.

 

A orientação vocacional destina-se a:

 

1. estudantes secundaristas que tenham dúvidas sofre qual curso superior escolher;

2. jovens que tenham completado o 12.º ano, mas ainda não tenham ingressado no ensino superior;

3. estudantes que tenham ingressado no ensino superior, mas estejam descontentes com o curso escolhido.

 

O processo é composto por 10 sessões, com a duração de 90 minutos cada.

 

Abaixo uma entrevista em que discorro sobre a orientação vocacional.

Orientação de Carreira

Indecisão.jpg

A orientação de carreira é destinada às pessoas que já têm uma profissão, mas precisam buscar uma recolocação no mercado de trabalho ou fazer frente a novos desafios profissionais. Também pode ser útil para aposentados que procuram uma nova atividade.

 

Descobrir o que gostaria de fazer é o primeiro passo para que o profissional tenha uma carreira de sucesso ou um empreendimento promissor, mas não é suficiente para construir os alicerces que garantirão sustentabilidade e perenidade ao projeto. Para tanto, é fundamental a construção de um plano de carreira.

Mulher negra 2.jpg

O plano de carreira é um roteiro de desenvolvimento profissional no qual as metas são definidas de maneira clara, objetiva e realista. Trata-se, em suma, de um caminho coerente, que descreve as etapas a serem seguidas e as ferramentas necessárias para que o indivíduo consiga realizar-se profissionalmente.

 

Vale acrescentar que o plano de carreira não é uma ferramenta estática, pelo contrário, precisa ser compreendido de maneira dinâmica. Ou seja, o instrumento pode e deve ser alterado no decorrer da trajetória profissional, já que as motivações, desejos e necessidades das pessoas mudam com o passar do tempo.

 

Na orientação profissional, além de aplicar testes e inventários de perfil profissional, ajudo a pessoa que me procura a:

fazer uma retrospectiva de seu histórico laboral;

entender o mercado organizacional e/ou as oportunidades de negócios;

formular o seu plano de carreira;

dar os primeiros passos no sentido de concretizar os objetivos elencados no plano de carreira.

 

Neste espaço disponibilizo textos, artigos, reflexões, vídeos e outros materiais relacionados à Psicologia e ao comportamento humano.

blog-684748_1920.jpg

Como funciona a Terapia

Cognitivo-Comportamental?

Timidez e fobia social: onde termina uma e

começa a outra?

Sobre a anorexia

A arte da assertividade

La otra carta

Empatia é simpatia, antipatia ou uma patologia?

Sobre a "mania" de perseguição...

Transtorno obsessivo-compulsivo ou apenas excentricidade?

Sim! Chorar é coisa de homem...

Um cachorro chamado depressão

Estratégia "ACALME-SE" para lidar com a

ansiedade

O que é uma profecia autorrealizável?

Campanha Heads Together

A cura não significa que aquela sua dor nunca existiu. Mas significa que ela não controla mais a sua vida.